Comunicação

Notícias

Rotina da Família Lírio durante o isolamento social

Muitas famílias da Escola Upuerê têm adaptado suas rotinas durante o isolamento social devido à pandemia do coronavírus. É o caso da Naiara e do Amauri Lírio com suas filhas Helena, de 3 anos, e Mariana, de 1 ano.

Durante a quarentena, a mãe conta que a rotina da casa passou por algumas modificações, com alternância de tarefas entre ela e o esposo: “Como advogada, utilizo a parte da manhã para atender remotamente meus clientes, estudar e redigir trabalhos, enquanto o pai, nesse período, fica responsável por cuidar das crianças. Na parte da tarde ocorre o inverso: fico com nossas filhas e Amauri, servidor público, exerce as suas atividades em home office, encerrando seu trabalho por volta das 18h.

À noite, todos interagimos juntos, tanto nas tarefas do lar quanto desenvolvendo algumas atividades repassadas pela Upuerê que não foram feitas durante o dia”.

Além disso, algumas regras foram flexibilizadas na casa da família Lírio. De acordo com Naiara, as crianças podem andar de triciclo, bicicleta e patinete. “Até desenhar amarelinha no chão da varanda foi permitido. Por outro lado, deixamos nossas filhas lidarem um pouco com o ócio e o tédio, em alguns momentos, pois algumas brincadeiras acabam surgindo”, relata a mãe, ressaltando a importância do ócio criativo para o desenvolvimento das crianças.

A mãe destaca a importância das escolas nesse momento, cujo papel vem sendo desempenhado pela Upuerê por meio do envio de programações pedagógicas para as famílias. Naiara conta como a família Lírio vêm adaptando as atividades com as filhas em casa: “Procuramos fazer junto com a Helena e a Mariana algumas atividades que eram desenvolvidas na Escola, dentro das nossas limitações. Utilizamos os materiais enviados pela Upuerê para fazer atividades com elas e buscamos outros materiais e ideias nas redes sociais para entretê-las”.

Saúde emocional

Quanto à saudade deixada pelo contato físico, inclusive no convívio escolar, Naiara conta que vem adotando algumas medidas, facilitadas pelo meio virtual: “Quando a saudade aperta, tentamos fazer chamadas de vídeo para interagirmos com os nossos entes queridos e com os amigos, inclusive da Escola. Já fizemos encontro virtual com os amigos do Grupo 3 por meio do Zoom, aplicativo de videoconferências”. 

Em momentos de estresse, a mãe procura realizar atividades de relaxamento e respiração para acalmar as filhas. “Com a Helena, procuramos conversar sobre o que está acontecendo, explicando os motivos pelos quais não podemos sair de casa e nem estar fisicamente próximos de outros familiares e amigos. Nesse período, é importante sermos compreensivos uns com os outros e sabermos tirar algumas coisas boas deste cenário de isolamento social, como nos aproximarmos mais das nossas meninas, estreitando ainda mais nosso relacionamento familiar”, encerra Naiara.

Além da família Lírio, a família Lecco Bertolini vem procurando se adaptar ao isolamento, mantendo sua rotina com trabalho home officeClique aqui e saiba como eles estão lidando com a temporária realidade.

Talita Vieira.